Flyer, panfleto ou folder? Saiba diferenciá-los e usá-los a seu favor

Flyer, panfleto ou folder? Saiba diferenciá-los e usá-los a seu favor

Muitas pessoas têm dúvidas ao optar pelo formato de uma peça impressa: o que escolher? Panfleto, flyer ou folder? Definir corretamente suas características é fundamental para evitar erros de criação e produção. Além disso, cada impresso tem as suas especificidades e poderá contribuir de forma distinta para a sua comunicação. Confira, neste rápido guia, suas diferenças e aplicações mais comuns.

Panfleto ou Folheto

Panfleto para divulgação de produto.

O termo panfleto vem do inglês “pamphlet”, que, por sua vez, é uma tradução do latim “pamphilus” — uma espécie de poema de amor que circulava na Europa medieval. Com o tempo, o termo panfleto passou a ser utilizado para textos escritos, mais curtos que os livros, que circulavam nas cidades e vilas europeias. Séculos mais tarde, com a invenção da imprensa, o panfleto passou a nomear os textos impressos curtos, distribuídos em grandes quantidades, geralmente com temática religiosa ou política.

Nos dias de hoje, o panfleto ainda carrega essa herança do início da imprensa. O termo é utilizado para nomear peças simples, impressas em grandes quantidades. A vantagem do panfleto é permitir uma grande tiragem a preços baixos, com rapidez e facilidade de produção e impressão. Por isso, esse tipo de peça é utilizado em estratégias de divulgação massiva, pouco personalizada e imediata.

Estes tem sua utilização mais comum para divulgação de lançamentos e promoções, feiras e eventos e ações em massa como campanhas políticas, dentre outros.

Flyer

Esse tipo de peça surgiu com o desenvolvimento da publicidade moderna nos centros urbanos, onde as empresas buscavam anunciar rapidamente seus produtos e serviços. Em certa medida, o flyer é nada mais que uma evolução dos panfletos simples criados a partir da invenção da imprensa. Flyers costumam ser mais refinados que os panfletos, impressos em grandes quantidades, mas em papéis de maior gramatura, com um trabalho estético mais apurado. É o caso típico de flyers de inaugurações de empreendimentos imobiliários. Marcas de bebidas costumam criar coleções, com imagens impactantes e acabamento diferenciado, para distribuição gratuita em bares e baladas.

Folder

Folder para apresentação corporativa

O termo folder vem do inglês “fold”, que significa dobrar. Em resumo, o folder é um panfleto com dobras. Dessa forma, fica bastante evidente que o folder é uma peça ainda mais refinada que o panfleto ou o flyer, o que irá exigir maior investimento em design, mas, por outro lado, oferecer maiores possibilidades criativas.

Um folder pode ter apenas uma dobra, considerado como quatro páginas, dobra sanfona, carteira, entre outras variações o que o permite comunicar uma quantidade maior de informações. É excelente para apresentações corporativas, lançamentos e descrições detalhadas de produtos.

Logo, logotipo, marca e logomarca. Qual a diferença?

Logo, logotipo, marca e logomarca. Qual a diferença?

Muitas pessoas ainda confundem as denominações logo, logotipo, marca e logomarca. É comum ouvir pessoas leigas dizendo: “Adorei a logomarca da sua loja.” Mas afinal, qual a diferença entre elas? É sobre os conceitos desses termos, ainda tão discutidos, que vamos tratar neste post. Vamos explicar de maneira clara a diferença entre eles para que você não confunda mais esses termos.

Logo e logotipo

Em grego, “logos” significa conceito, significado.  Já “typos” significa símbolo ou figura. Assim, logotipo significa símbolo visível de um conceito. Exemplo: se um cliente nos entrega um conceito a ser trabalhado, esse é o logo. A partir desse conceito, criamos um símbolo gráfico, que é o tipo.

Ambas as palavras têm o mesmo significado. Logotipo é uma forma alternativa da palavra logo. Um logotipo é composto pelo símbolo e pela tipografia, que juntos formam o logotipo em si. Explicando de forma mais simples, logotipo é a representação gráfica do nome fantasia de uma empresa em que só são utilizados o símbolo e a tipografia (letras). É um produto gráfico resultante do design e também pode ser definido como a imagem da marca. É a forma de representação do nome de uma empresa com um tipo de letra característico. Exemplos de logotipos são: Google, Sony, Coca-Cola e vários outros. O logotipo pode ser registrado através do registro de marca no Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI. O nome registro de marca gera uma pequena confusão porque na verdade o logotipo é que é registrado e não a marca.

O logotipo é uma parte da marca, que deve aparecer nas peças gráficas feitas pela empresa. Por exemplo, o símbolo de uma empresa não é a marca em si, mas representa o conceito que a empresa deseja associar à sua marca. Exemplos: Apple e Nike.

Marca

Já a marca é representada graficamente pela logo e pela identidade visual. Compreende o símbolo, o logotipo, as emoções e as cores. É o elemento principal da identidade visual da empresa, é através dela que a empresa será identificada em qualquer lugar, independente do conceito gráfico em que está inserida. De um ponto de vista geral, a marca pode ser conceituada como a conexão entre uma empresa, sua missão, valores, visão e consumidores.

Segundo o autor e professor Philip Kotler, conhecido como o “pai do Marketing moderno”, a marca tem até 6 níveis de significados, que são: benefícios, atributos, valores, personalidade, cultura e usuário.

Logomarca

É uma palavra praticamente inexistente no vocabulário dos profissionais do mercado publicitário, mas é usada por clientes que a confundem com a palavra logotipo. Muitos a consideram um neologismo, ou seja, uma palavra que foi inventada, abrasileirada, para a representação de uma nova forma de logotipo.

O termo é formado pela união de duas palavras: logo + marca. “Logos” vem do grego e significa significado, conceito. Marca origina-se da palavra germânica “marka” e tem o mesmo significado do termo “logo.” Sendo assim, logomarca significaria “significado do significado”, o que não faz sentido.